[Sobre Ecos do Passado]
[A Cidade]
[Acesso Rápido]
 
[Arquivo]
[Principal]

:: Flash 01
:: Flash 02
:: Flash 03
:: Flash 04
:: Flash 05
:: Flash 06
:: Flash 07








 
>Blog do Patrimônio
>Brindes
>Busca no Site
>Fale Conosco
>Projetos
>Trapiche
>Mapa do Site
A CIDADE    |   General Lott - Nota biográfica


Henrique Batista Duffles Teixeira Lott nasceu em Antônio Carlos, Minas Gerais, no dia 16 de novembro de 1894.

Estudou na Escola Militar de Realengo,no Rio de Janeiro, e sua formatura como aspirante a oficial ocorreu em 1914. Em Washington, Estado Unidos, foi adido militar do Brasil. Em 1944, chegou ao generalato e durante a crise de 1954, quando as forças conservadoras se opuseram ao sindicalismo, Lott assinou o documento em que os generais exigiam o afastamento de Getúlio Vargas do poder.

Após o suicídio de Vargas, Café Filho assumiu o cargo de presidente e nomeou Lott Ministro da Guerra. Quando Juscelino e João Goulart venceram as eleições, em outubro de 1955, houve uma divisão das Forças Armadas, entre pró e anti getulistas. A facção antigetulista procurou invalidar a eleição, sob a alegação de que Juscelino era simpático aos comunistas e não tivera maioria absoluta dos votos em 11 de novembro.

Por conta disso, Lott desencadeou o movimento militar dito "de retorno ao quadro constitucional vigente". Houve então a declaração de impedimento do presidente em exercício, Carlos Luz, e a entrega do cargo ao presidente do senado, Nereu Ramos, de forma a que ficasse garantida a posse dos eleitos. Lott continuou como ministro da Guerra no governo de Juscelino.

Ao longo das décadas 50 e 60, Lott se distinguiu pelo legalismo e por suas convicções democráticas. Em 1960, já como marechal da reserva, concorreu na eleição presidencial daquele ano apoiado por uma coligação de dois partidos, mas foi derrotado por Jânio Quadros, o que muito dificultou a sua manutenção na vida pública. Em 1961, declarou-se formalmente contrário à tentativa de golpe planejada pelos ministros militares para impedir a posse de João Goulart após a renúncia de Jânio, o que lhe rendeu uma prisão domiciliar. Por fim, foi declarado inelegível pela Justiça Eleitoral, ao se lançar em 1965 a candidato ao governo do então estado da Guanabara. Diante disso, e por não concordar com a ditadura que estava se iniciando no Brasil, Lott afastou-se da vida pública.

Retornou à cena apenas dez anos depois, em 1975, quando recebeu a Comenda da Escola de Estado-Maior dos Estados Unidos, no consulado americano no Rio de Janeiro. Ao completar 85 anos, em 1979, defendeu publicamente a necessidade e a importância de ser adotada a anistia política no Brasil.

Lott morreu no Rio de Janeiro no dia 19 de maio de 1984.


in Wikipédia. Foto: Acervo do Museu da República

Iconografia

 



NOVIDADES DO SITE
 
Novo Blog

Foi lançado o novo blog do Patrimônio. Mais abrangente, com uma nova linha editorial e novo layout. Clique aqui.
 
Trapiche

A loja do site já está no ar - você já pode adqurir fotos e postais exclusivos
.
 
EM BREVE
 
Central de Notícias

Informação em tempo real numa parceria do Patrimônio com o G1, o maior portal de notícias da América Latina.
 
Site do Burunga

Cruel? Maldosa? E daí? A arte do riso é hilária.
 
Canal Curumim

Um canal com conteúdo todo direcionado para crianças - jogos, diversão, histórias, brindes, piadas e muito mais.
 
+ Projetos
Clique aqui

Principal   |   A Cidade   |   Athína   |   Cultura & Folclore   |   Matérias Especiais
Museu de Imagens   |   Sala de Imprensa   |   Agenda   |   Serviço   |   Novidades
Termos & Condições  |   Política de Privacidade  |  Sobre o Patrimônio |  Anuncie Conosco |  Créditos 
Copyright © Eduardo Abrahão - Todos os direitos reservados