[Sobre Ecos do Passado]
[A Cidade]
[Acesso Rápido]
 
[Arquivo]
[Principal]

:: Flash 01
:: Flash 02
:: Flash 03
:: Flash 04
:: Flash 05
:: Flash 06
:: Flash 07





 
>Blog do Patrimônio
>Brindes
>Busca no Site
>Fale Conosco
>Projetos
>Trapiche
>Mapa do Site
A CIDADE | Ecos do Passado

A história de São Luís do Maranhão estende-se por um período de quase quatrocentos anos e é recheada de acontecimentos espetaculares, passagens pitorescas e personagens surpreendentes.

Desde sua fundação, realizada por franceses que desembarcaram no Novo Mundo em busca do sonho da França Equinocial, a cidade foi cenário de marcantes acontecimentos históricos. Em seus primeiros anos, guerras, invasões e revoltas feriram-na profundamente: desde a retomada de seu território, empreendida pelos portugueses que daqui expulsaram os franceses após uma série de sangrentas batalhas, passando pela invasão holandesa, marcada pela brutalidade e intolerância, até os ataques de corsários ingleses, as expedições de captura dos índios e as revoltas dos colonos contra os padres jesuítas.

Mas foi justamente nessa fase tão turbulenta de sua história que São Luís tornou-se o berço da primeira manifestação do sentimento nativista no Brasil, que quase cem anos depois resultou na Inconfidência Mineira: a Revolta de Bequimão. Mais tarde, dada a proximidade com a metrópole - proximidade essa geográfica e cultural - tornou-se também a mais portuguesa das cidades do Brasil, tanto que, ironicamente, acolheu de braços abertos o traidor da mesma Inconfidência Mineira - o coronel Joaquim Silvério dos Reis, cujo fantasma amargurado, dizem as lendas, ainda assombra o Largo do Carmo e as cercanias da Igreja de São João, onde seu corpo foi enterrado.

Colonizada por açorianos rudes e pouco afeitos ao trato com as musas, São Luís, na época do Império, foi, porém, a Pátria de poetas e escritores cujas obras influenciaram decisivamente as letras nacionais - tanto que passou a ser conhecida como Atenas Brasileira. Sob a influência de um grande desenvolvimento econômico - fortemente baseado na indústria têxtil -, a cidade chegou a ser a quarta mais importante do país. Já nesse período seu conjunto arquitetônico impressionava, assim como a qualidade de vida que oferecia aos seus moradores: boa iluminação pública, serviços de água, telefone e gás e um moderno sistema de bondes que revolucionou o transporte urbano da época.

A passagem do século XIX, no entanto, assinalou o início de seu longo declínio, e por muitos anos a cidade permaneceu como que adormecida - apenas na metade do século XX é que a velha Atenas Brasileira voltou ao cenário nacional: por quase quinze anos esteve em permanente estado de sítio, o povo em revolta aberta contra o governo. Passou então a ser chamada de a Ilha Rebelde, mas hoje a sua beleza arquitetônica assegurou-lhe um título mais condizente com o legado de sua rica tradição cultural, o de cidade Patrimônio da Humanidade.

Contar a história de São Luís é, pois, uma aventura cheia de desafios, mas fascinante por isso mesmo - e ela será empreendida sob a forma de flash's, episódios que, aqui e e ali, vão se juntar formando o grande painel de um tempo que merece ser permanentemente reencontrado.



NOVIDADES DO SITE
 
Novo Blog

Foi lançado o novo blog do Patrimônio. Mais abrangente, com uma nova linha editorial e novo layout. Clique aqui.
 
Trapiche

A loja do site já está no ar - você já pode adqurir fotos e postais exclusivos
.
 
EM BREVE
 
Central de Notícias

Informação em tempo real numa parceria do Patrimônio com o G1, o maior portal de notícias da América Latina.
 
Site do Burunga

Cruel? Maldosa? E daí? A arte do riso é hilária.
 
Canal Curumim

Um canal com conteúdo todo direcionado para crianças - jogos, diversão, histórias, brindes, piadas e muito mais.
 
+ Projetos
Clique aqui

Principal   |   A Cidade   |   Athína   |   Cultura & Folclore   |   Matérias Especiais
Museu de Imagens   |   Sala de Imprensa   |   Agenda   |   Serviço   |   Novidades
Termos & Condições  |   Política de Privacidade  |  Sobre o Patrimônio |  Anuncie Conosco |  Créditos 
Copyright © Eduardo Abrahão - Todos os direitos reservados