[Acesso Rápido]
 
[Matérias Especiais]
[Principal]






 
>Blog do Patrimônio
>Brindes
>Busca no Site
>Fale Conosco
>Projetos
>Trapiche
>Mapa do Site

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

MATÉRIAS ESPECIAIS | Jozé Barbosa Albuquerque, 1767

Em nome Deos. Amém // Saibao' quanto este publico instrumento, de cedula de Testamento, dispoziçao' de minha ultima vontade, ou como em direito melhor dizer se possa, virem que Sendo no anno do Nascimento de JEZUS Christo de mil Settecentos Secenta e sette aos seis dias do mez de Abril do dito anno nesta cidade de Sam Luís do Maranhao' eu Jozé Barboza de Albuquerque estando com Saude perfeita, querendo por a minha alma no verdadeiro caminho da Salvaçao' faço este meo testamento na forma Seguinte. // Primeiramente encomendo a minha alma a Deos, e lhe peço, que poiz a Creou, e Lumeou com a infalível verdade da fé, e a meio com o Seo preciozo Sangue, e pela morte, e Payxao' de meo Senhor Jezus Christo, e intercessao' de Maria Santissima Senhora Nossa, do anjo da minha guarda, do Santo do meo nome, e de todos os mais da Corte do Ceo, especialmente os de minha devoçao, seja Servido perdoar meos pecados, que ingrato a tantos beneficios tenho commettido, que como verdadeiro, e fiel christao' protesto viver, e morrer na Santa Fé catholica, crendo tudo o que cré, e Ensina a Santa Madre Igreja de Roma. // Pesso em primeiro lugar ao Reverendo [corroído] Vigario Bernardo Bequeman, em Segundo Lugar ao meo Primo Ignacio Henriques Ribeira queirao' por Serviço de Deos, e por me fazerem merce aceitarem Ser meos Testamenteiros, fazerem dar cumprimento a todas minhas dispoziçoens. // Declaro, que Sou natural desta cidade, filho legitimo de Joao' Barboza da Costa, e de Domingas Dornellas ja defuntos, fui cazado a face da Igreja com Margarida Tavares tambem ja defunta, e nao' tivemos filhos alguns, e Em minha consciência nao' tenho herdeiro nenhum forçado, que possa succeder a meos bens. // Declaro, que Sou Terceiro Veneravel ordem da Penitencia do meo Serafico Patriarcha Sam Francisco, pelo que peço aos meos charissimos Irmaons acompanhem meo corpo em o Seo esquife, como hecostume, e me façao' todos os sufragios, que mandao' os Nossos Estaturos // Declaro, que meo corpo quero Sejo amortalhado no habito do mesmo meo Padre Sam Francisco, enterrado na dita capella dos Terceiros, e me acompanhará o Reverendo Vigario, a Crus da Fabrica, e oito capellaens, que de tido Se pagará a esmolla costumada. // Declaro, que no dia do meo fallecimento, sendo a horas, alias no Seguinte, mandarao' meos Testamenteiros dizer Seis Missas de corpo prezente por minha alma, huma ao Anjo da minha guarda, outra ao Santo do Meo nome, que Se pagara o Costumado. // Declaro, que meos Testamenteiros também mandarao' dizer por minha alma duas capellas de Missas, e Meya capella mais pel a alma da dita minha mulher, de que Se pagará a esmolla costumada. // Declaro, que quando a dita minha mulher falleceo fez seo testamento, em que me deixou toda a meaçao', que tinha nos bens, que possuhiamos para eu gozar durante minha vida, e por minha morte Se destribuir as pessoas, que a dita minha mulher determina no dito Seo testamento, Sendo eu Seo primeiro Testamenteiro, o qual ainda se acha em meo poder Sem ir a rezidencia com alguma quitaçoens de Seo cumprimento, que Se achará mesmo dentro do dito Testamento, e o que faltar do Suffragio, e funeral da dita minha mulher peço aos meos Testamenteiros com toda a efficacia cuidem logo em o mandar fazer, que Se o nao' tenho feito até agora he por meachar Sem dinheiro, e nao' haver comprado a alguma das propriedades, que possuo. // Declaro, que devo no Convento de Santo Antonio todos os Sufragios, e funeraes, que no dito convento Se fizerao' pela dita minha mulher, e assim também vinte mil reis ao Padre Ignacio Xavier [corroído] duas Capellas de Misas, que disse tambem da dispoziçao' della; e meya capella ao Padre Joze de Moraes Pimenta, e as mais, que constao' do dito testamento ainda nao' encommendei, e meos Testamenteiros terao' todo o cuidado em tirarem do bens todos juntos o que pertencer ao funeral da dita minha mulher, e os Suffragios da Sua meaçao', dando sempre todo o cumprimento ao dito testamento, que Seo nao' tenho feito he pela rezao', que assima digo. // Declaro, que os bens, que possuo he a minha morada de cazas desta cidade, e hum quarto de legoa no Cotim unidas com as de meo Sobrinho Jeronimo Barboza, onde tenho meos Sitio com cazas, roda de farinha, forno, hum carro, huma junta de bois, e alguma ferramenta, e mais trastes de rossa, que Se acharem por meo Fallescimento; assim mais possuo dois taixos, hum grande, e hum mais pequeno, hum almofaris, quatro candeas de cobre, huma arma de fogo, oito colheres de prata, quatro vazadas, e quatro batidas, hum par de fivellas de çapatos de prata. // Declaro mais que possuo duas caixas, huma de molduras, e outra grande Sem ellas, hum contador, hum bofete; quatro tamboretes velhos, e dois novos, hum catre com [corroído], e alguns trastes miudos, que Se acharem em caza nesta cidade. // Declaro mais, que possuo alguns Lençoes, traviceiros, e almofadinhas, toalhas, e guardanapos, o que Se achar dentro das mesmaz caixas, como tambem algumas louças finas, e grossas, e o mais que ditos meos Testamenteiros acharem por meo fallescimento para tudo Se incorpora, e tirar a meaçao' da dita minha mulher para Se repartir conforme lha determinou, e ficar a minha parte para as minhas dispoziçoens. // Declaro que, a huma menina por nome Maria Thereza, que criei, e he minha afilhada, e hoje Se acha no recolhimento, lhe deixo a caixa de molduras, e as oito colheres de prata, ou as que se acharem por meo fallescimento, e recomendo muito a meus Testamenteiros cuidem Sempre na dita menina ate que tome o Estado, que lhe parece, e que Selhe na'o falte com o necessario no dito Recolhimento, onde Se acha, pois Legitima, que lhe deixou Seo Pay Luís Domingues lhe tem feito applicaçoens de Se lhe dar todos os annos trinta mil reis pelo juizo dos orfaons para Seo Sustento, e vistuario. // Declaro, que a terra que possuo a deixo pelo amor de Deos a meu Sobrinho Jeronimo Barboza com as cazas que se acha'o [corroído] nellas, para que este tambem por este beneficio Se lembre como puder da minha alma. // Declaro, que omeo Contador, ou escrivaninha deixo a meo Segundo Testamenteiro Ignacio Henriques Ribeira. // Declaro, que devo a Domingos Affonso vinte trez mil reis; a Antonio Gonsalves, e a Joao' Vieira o que ellez disserem, pois me nao' lembra o quanto he, que fio de Suaz consciencias nao' peçao' de mais; e a Francisco Antonio por Anthonomazia cheganças, dois mil reis, quando nao' paguem minha vida meoz Testamenteiros Satisfaçao' com promptidao', e tudo o maiz, que constar eu devo a qualquer pessoa, que elles julgarem ser verdade. // Declaro, que fallescendo minha Irma' Anna Barboza, que vivia recolhida no Recolhimento desta cidade, fazendo Seo testamento declarou que o taixo grande, que eu possuo, e declaro neste, era seo, e mo deixava em quanto eu vivo, e que por minha morte passaria ao dito recolhimento, cuja declaraçao' da dita minha Irma' foi feita com pouca Lembrança, mas eu por evitar escrupulos quero, que o dito taixo grande Sempre passe ao recolhimento, mas nao' por deixa da dita minha Irma', So Sim por esmolla, que eu delle lhe faço por Seo meo o dito taixo na realidade, e nao' pertencer de forma alguma a dita minha Irma', e por esta esmolla quero, que as ditas recolhidas nos oito dias de meo fallescimento hum delles apliquem todas as obras, que fizerem, e Missas, que ouvirem pela minha alma. // Declaro, que eu ando ajustando a vender as cazas, que possuo nesta cidade para com o Seo producto pagar as dispoziçoens do funeral, e Suffragio da dita minha mulher, cazo que o faça tudo ha de ficar satisfeito, e do que Se achar Se fara entao' as meaçoens para huma e outra parte. // Delcaro mais, que com todo cuidado meos Testamenteiros pagarao' os annuais a dita minha ordem Terceira tanto de minha parte, como da defunta minha mulher. // Declaro, que as dividas, que devo, e dellas aqui faço mençao' todas forao' contrahidas, e feitas inda em vida da dita minha mulher, e assim devem Sahir de todo o monte, por que forao' feitas em utilidade do mesmo cazal, e pelo credores Serem homens de bondade nao' tem vexado, e nem feito execuçao' em meos bens quando fallesceo a dita minha mulher. // Declaro finalmente que depois de tiradas todas as minhas dispoziçoens, funeral, e Suffragios, pagas as dividas, quando da minha meaçao' Sobre alguma couza, esta Sobra quero Se dé as minhas Sobrinhas femeas filhas de meo Sobrinho Ignacio [corroído] e do dito restante, ou Sobras as instituo minhas universaes herdeiras. // E por quanto tudo assim he minha ultima vontade do modo que aqui tenho dito torno a pedir aos Sobreditos nomeados queirao aceitar a serem meos Testatmenteiros para darem cumprimento a todas as minhas dispoziçoens, para o que lhes dou e concedo todos os meos poderes, que em direito posso a ambos em geral, e a cada hum emparticular para de meos bens tirarem tudo, que for preciso para todas as minhas dispoziçoes: e todos os bens, que aqui declaro, e os mais, que me pertencerem por qualquer titulo, ou rezao' que Seja, que aqui nao' faço mençao', quero passem as ditas minhas sobrinhas instituhidas minhas herdeiras com o dito razante assima declarado: e peço as Justiças de Sua Magestade assim Eccleziasticas, como Seculares em juizo, e fora delle façao' dar todo o inteiro cumprimento Sem duvida alguma, por quanto tudo assim he minha ultima vontade na forma, que aqui tenho declarado: e quando nao' possa valer como testamento, Seja como codicillo, ou como em direito melhor possa para cujo effeito pedi a Joze [corroído] de Araujo mo Escrevesse, e Comigo assignasce Como testemunha que depois defeito o Li de verbo ad verbum, e o achei verdadeiramente na forma de minha determinaçao' de dispoziçao' de minha ultima vontade. Eu sobredito Joze Miguel de Araujo assim o fiz a rogo do dito testador nesta cidade do Maranhao dia, mes , e anno ut Spra // Jozé Barboza de Albuquerque, // Como testemunha Joze Miguel de Araujo.


Versão integral, em português arcaico e com as marcações da época

Iconografia


[Gravura de William Blake,o Eterno, século XVIII]










NOVIDADES DO SITE
 
Novo Blog

Foi lançado o novo blog do Patrimônio. Mais abrangente, com uma nova linha editorial e novo layout. Clique aqui.
 
Trapiche

A loja do site já está no ar - você já pode adqurir fotos e postais exclusivos
.
 
EM BREVE
 
Central de Notícias

Informação em tempo real numa parceria do Patrimônio com o G1, o maior portal de notícias da América Latina.
 
Site do Burunga

Cruel? Maldosa? E daí? A arte do riso é hilária.
 
Canal Curumim

Um canal com conteúdo todo direcionado para crianças - jogos, diversão, histórias, brindes, piadas e muito mais.
 
+ Projetos
Clique aqui

Principal   |   A Cidade   |   Athína   |   Cultura & Folclore   |   Matérias Especiais
Museu de Imagens   |   Sala de Imprensa   |   Agenda   |   Serviço   |   Novidades
Termos & Condições  |   Política de Privacidade  |  Sobre o Patrimônio |  Anuncie Conosco |  Créditos 
Copyright © Eduardo Abrahão - Todos os direitos reservados